Infantil

Melhor cadeira de refeição para bebê

Melhor cadeira de refeição para bebê

O tempo passou e seu bebê já se alimenta com outros elementos além do leite materno. O pequeno iniciou a ingestão de frutinhas, papinhas e outras comidinhas. Chegou a hora de comprar uma cadeira de refeição para bebê e não sabe por onde começar? Separamos várias dicas e sugestões para esse momento. Aproveite!

Afinal, por que comprar uma cadeira de refeição?

Apesar de muitas vezes não ser um item visto como prioritário pelos pais, a cadeira de refeição auxilia na socialização da criança e na criação de uma autonomia no momento das refeições. Além disso, quando posto junto à família nesse momento, o bebê tende a imitar e aprender os modos à mesa e o uso de objetos como talheres, copos, enfim.

A criação dessa autonomia nesse momento também ajuda a família a ler de maneira mais efetiva os gestos da criança. Por exemplo, o modo como o bebê se afasta da comida quando está satisfeito ou como ele reage à certos alimentos.

Quando usar?

Quando o bebê começa a se alimentar de maneira complementar ao leite materno, aos 6 meses. Aos 8 meses, a criança consegue sentar-se sozinha. Nesse momento, a cadeira de refeição para bebê passa a ser uma boa opção.

Cadeira de Refeição Alta Standard II, Galzerano, Panda, Até 15 kg
R$ 249,90
in stock
6 new from R$ 249,90
as of 19 de janeiro de 2021 10:25
Amazon.com.br
Cadeira de Refeição Portátil Pop Cosco - Bege
R$ 262,90
in stock
as of 19 de janeiro de 2021 10:25
Amazon.com.br
Bon Appetit, Burigotto, Mon Amour, XL, Pacote de 1
R$ 329,00
in stock
5 new from R$ 329,00
as of 19 de janeiro de 2021 10:25
Amazon.com.br
Cadeira de Refeição Feed, Safety 1st, Pink Sky
R$ 529,90
R$ 699,00
in stock
6 new from R$ 529,90
as of 19 de janeiro de 2021 10:25
Amazon.com.br
Prima Pappa Zero 3, Burigotto, Capuccino
R$ 693,30
in stock
4 new from R$ 659,00
as of 19 de janeiro de 2021 10:25
Amazon.com.br

Como limpar a cadeira de refeição?

Preferencialmente com água e sabão neutro. Imagine uma mesa comum: deve-se adotar os mesmos procedimentos, de forma diária. Cuidado com produtos muito fortes, que possam prejudicar a saúde do bebê ou causar irritações!

Existe um limite de idade ou peso?

As cadeiras de refeição suportam até 15kg. Porém, não se preocupe: boa parte delas é equipada para suportar um pouco além desse limite, por questões de segurança. Com base apenas no peso, não é possível definir uma idade exata, mas especialistas recomendam o uso até por volta de 3 anos de idade, fase em que os pequenos já conseguem alcançar a mesa com o auxílio de almofadas nas cadeiras.

O que levar em conta?

  1. Limpeza: Durante as refeições, os pequenos costumam fazer muita bagunça. Por isso, é importante dar preferência à cadeiras impermeáveis e com as bandejas removíveis. Essas características vão ajudar muito no momento da limpeza do aparelho!
  2. Segurança: O modelo da cadeira de alimentação precisa apresentar firmeza e um bom acabamento. As extremidades não devem, em hipótese alguma, oferecer risco aos pequenos: muito cuidado com pontos onde o bebê possa correr o risco de prender os dedinhos! Além disso, tanto os modelos tradicionais quanto os modelos novos possuem uma distância considerável do chão. Basta uma falha de segurança para provocar um acidente, por isso fique atento!
  3. A família costuma fazer as refeições em casa ou em restaurantes? Viagens são constantes no dia a dia? Você precisa de um modelo com características móveis ou um modelo fixo, como as cadeiras tradicionais, já é suficiente? Em que cômodo as refeições costumam ser feitas? Qual o tamanho desse local? Todas essas perguntas vão interferir na escolha do modelo. Para cada caso, existe uma alternativa. Enfim, basta escolher o que se encaixa melhor!

Cuidados a serem tomados

Algumas características e acessórios devem ser observados no momento da escolha. Listamos alguns a seguir:

  1. Trava de segurança: Verifique se a cadeira possui trava de segurança. A trava evita que as pernas da cadeira se fechem;
  2. Cinto de Segurança: item indispensável, o cinto é um dos principais pontos a se levar em consideração. Ele evita muitos acidentes provocados pela altura da cadeira;
  3. Conforto: prefira modelos que ofereçam conforto e comodidade aos bebês como, por exemplo, assentos acolchoados;
  4. Pés da cadeira: procure modelos com pés antiderrapantes. No caso de cadeiras com rodízios, verifique se a trava apresenta um bom funcionamento;
  5. Funcionalidades extras: Recursos como regulagem de altura, rodinhas e pernas dobráveis podem prolongar o tempo útil do aparelho e garantir maior versatilidade no uso;
  6. Selo de segurança: não deixe de verificar se o aparelho possui o selo do INMETRO. Existe uma portaria específica para as cadeiras, criada em fevereiro de 2013. Nela estão os requisitos de conformidade desses aparelhos, visando dar mais segurança aos pequenos;
  7. Cadeiras com muitos acessórios atrapalham no processo de aprendizagem do bebê. O momento das refeições deve ser utilizado para o desenvolvimento de uma consciência e educação alimentar da criança. Assim, ela pode perceber como se portar a mesa, além de perceber quando está saciada de fato. Por fim, quando os pequenos estão distraídos, tendem a comer mais do que o necessário;
  8. Não existe um padrão de tamanho ou altura para o aparelho. As informações necessárias nesse sentido estarão impressas na embalagem de cada cadeira.

Melhor cadeira de refeição para bebê

Tipos de cadeira

Existem 3 tipos de cadeira. Neste momento, não existe regra! Cabe a você decidir qual modelo se encaixa com as suas necessidades:

  1. Tradicional: o assento e a bandeja dessa cadeira são elevados por um suporte alto.
    Vantagem: consegue controlar melhor a bagunça feita pelo bebê no momento da refeição, já que o mesmo fica mais isolado e tem seu próprio espaço. Desvantagem: pouca mobilidade, quase nunca são portáteis. Dentre os modelos, possui o preço mais elevado.
  2. Cadeira acoplada à mesa: é uma cadeira que se encaixa na mesa através de um suporte.
    Vantagem: o bebê fica mais próximo dos familiares no momento da refeição. A mobilidade também é um fator-chave, já que devido a seu tamanho e peso o transporte do aparelho é facilitado. Desvantagem: os assentos não possuem ajustes e a bandeja não costuma ser removível, o que desfavorece a higiene do aparelho.
  3. Booster: este modelo possui assentos que se prendem às cadeiras através de um cinto. Por meio do aparelho, a criança é elevada.
    Vantagem: possui alta mobilidade; a criança fica mais próxima dos familiares no momento da refeição. Desvantagem: dentre os três modelos, este é o que mais pede atenção no momento da instalação. Isso porque a cadeira na qual o assento será fixado precisa ser suficientemente firme para suportar o peso do bebê, afim de evitar acidentes.

Hora das compras!

A segurança é, sem dúvida, primordial no momento da decisão de compra de uma cadeira de refeição para bebê. Aproveite as dicas e boas compras!

Comentar